Tendinite de Quervain

O que é

É uma alteração caracterizada por dor no bordo externo do punho, cujo início habitualmente se localiza na base do polegar.

Causa

A causa da tendinite de Quervain é uma irritação ou estenose dos tendões que se dirigem para o polegar na base do dedo (longo abdutor e curto extensão do polegar), quando tem de atravessar estruturas que lhes limitam o espaço de movimento.

Geralmente é provocada pela realização de actividades que exijam movimentos repetitivos, adopção frequente de posições viciosas ou períodos de sobrecarga aumentada. Gravidez, puerpério ou sequelas de fractura do punho são alguns dos factores predisponentes.

Quadro clínico

A dor sobre o bordo externo do punho é o principal sintoma. Pode ter aparecimento súbito ou insidioso e habitualmente inicia-se sobre o primeiro compartimento dos extensores (que inclui o longo abdutor e curto extensor do polegar). É comum irradiação da dor quer distalmente para o dedo quer proximalmente para o antebraço.

Os movimentos do punho e do polegar agravam geralmente as queixas, sendo comum à palpação, sentir uma crepitação com os movimentos. Devido ao edema e à dor, os movimento são por vezes muito difíceis, podendo a irritação dos ramos nervosos cutâneos originar parestesias e alterações da sensibilidade no dorso do polegar e por vezes indicador.

O teste de Finkelstein é habitualmente usado no diagnóstico: consiste em com o polegar aduzido e colocado sob os restantes dedos, flectir e aduzir o punho. Considerar-se-á positivo quando desencadear dor.

Estudo imagiológico

Embora a clínica seja geralmente muito sugestiva a realização de uma ecografia, permitirá confirmar o diagnóstico.

A realização de Rx terá como objectivo a exclusão de outras doenças que habitualmente apresentam quadros álgicos na mesma região (como por exemplo a rizartroze)

Tratamento

Tem como objectivo debelar o processo inflamatório local e desta forma eliminar a dor, melhorar o movimento e recuperar a função.

Tratamento conservador

  • Evitar movimentos repetitivos do polegar e actividades que desencadeiem ou agravem as queixas.
  • Medicação antiinflamatória
  • Imobilização (habitualmente com uso de uma tala)
  • Infiltração local com corticóide

Tratamento cirúrgico

Quando o tratamento conservador se revela ineficaz o tratamento cirúrgico será a opção.

Visa, mediante a abertura do primeiro compartimento extensor e a libertação tendinosa, aumentar o espaço para o movimento dos tendões e desta forma diminuir a irritação e obter a regressão do processo inflamatório.

O período de recuperação é variável, dependendo de vários factores (causa, estadio da doença, motivação do paciente, actividade profissional), pelo que se afigura difícil estabelecer um limite temporal de previsão de incapacidade.

Em pacientes com actividade manual mais intensa a melhoria que se obtenha com o tratamento poderá ser apenas temporária.

Mais informação: http://orthoinfo.aaos.org/topic.cfm?topic=A00007


Imprimir   Email